Na minha época de adolescente lá na virada dos anos 70 pros 80, eu ouvia rádio direto e adorava ficar esperando a hora em que aquela música tocasse no rádio para gravar no meu 3 em 1 Evadin. Quando conseguia encher uma fita, ficava ouvindo por horas, dias, semanas, até não aguentar mais. Lembro que naquela época fiquei sabendo que um cara lá perto de casa que já era um pouco mais velho e já trabalhava, vendia uns tapes K7 com músicas que não eram gravadas do rádio e portanto não estavam cortadas no começo e nem no fim. O cara comprava os discos de vinil e gravava os tapes pra vender, ele vendia muito pouco porque a molecada não tinha grana e no final ele acabou parando de tentar vender. O cara nem se ligava que já era um precursor no assunto pirataria. Logo depois começou rolar um papo que ele tinha montado uma rádio em casa pra tocar as músicas que ele gostava, toda a galera da vizinhança ouvia a rádio do cara depois que ele chegava do trabalho. Rádio numas né, era só um transmissorzinho fulêro plugado no som dele. Lembro que o cara era fuçador e não tinha muita grana, longe disso, ele trabalhava numa fábrica se não me engano na Moto Peças. Lembro claramente que a galera ficava esperando o cara voltar do trabalho pra ouvir a rádio que não tinha comerciais!

Era demais!

Logo depois lá fui eu tentar juntar uma graninha recolhendo lenha na padoca lá perto de casa pra comprar o meu transmissor também, e consegui. Assim entrava no ar a rádio Catacumba FM! Pura brincadeira de criança, nem microfone tinha, eu usava um fone de ouvido DAN como microfone. Não tinha também a menor intenção de fazer dinheiro com isso, e na verdade nem sabia que dava. Ilegal? Nem passava pela minha cabeça. O legal era zoar com alguém e todo mundo ouvir ao mesmo tempo! Ou saber que alguém da rua ouviu a música x na minha rádio que mal pegava no quarteirão.

O tempo passou e essa história de rádio pirata se transformou em um monstro de proporções inimagináveis pra mim na época. Hoje a rádio pirata é usada para os mais deversos fins ilícitos, como pra “pastor evangélico” pregar e arrecadar dinheiro pra “igreja” explorando o povão, pra traficante avisar que chegou a mercadoria na quebrada, e até pra candidato fazer a sua própria campanha politica. Parece incrível né? Não acredita? Então ouça os spots que a Rádio Bandeirantes colocou no ar em uma campanha contra essas rádios piratas.