Todo mundo que vai passar o carnaval em Pernambuco tem como referência um ritmo: o frevo. Pois agora a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) inscreveu ontem em sua lista de patrimônio cultural imaterial da humanidade esse ritmo do carnaval do Recife.

A decisão de incluir o frevo como “artes do espetáculo do carnaval de Recife e de Olinda” na lista do patrimônio imaterial da humanidade foi anunciada na sétima sessão do comitê intergovernamental de proteção desta área da Unesco (braço da ONU para educação, ciência e cultura), formado por 24 países. O objetivo é proteger essa tradição do Nordeste brasileiro para que ela se mantenha viva.

A Unesco define o patrimônio cultural imaterial como aquele que “faz referência às práticas, representações, expressões, aos conhecimentos e ao saber transmitidos de geração em geração no seio de uma comunidade, criados para transformar (…) a interação entre a natureza e a história”. Com sua inclusão na lista da Unesco, o frevo se junta a outras expressões brasileiras consideradas patrimônio cultural imaterial da humanidade, como o samba de roda do Recôncavo baiano.